quarta-feira, 30 de dezembro de 2009



não era um dia melancólico nem o horário prenunciava
a cena que viria
era o início de tarde qualquer,dos que não se adivinha 
a temperatura
não havia temporal,não era feriado nem véspera de
nada
e não há fosfato que me faça lembrar que roupa estava
usando


pois neste histo de tempo em que não chovia nem
molhava
em que frases arrastavam-se lentamente uma a uma
é que aconteceu o inesperado de uma vida,um divisor
de águas
entre a mulher saúdavel que eu era e a mulher que eu sangraria


não durou nem dois minutos,não houve violência,
parece até que havia música
algo dito em voz baixa calou fundo num ponto ainda
agreste do meu lado esquerdo
não recordo se era quinta ou sexta,se foi,se foi a sete ou oito anos,
e os porquês
só sei que fui despida bruscamente e desconfio que já 
não usava roupa alguma




(lembro perfeitamente do dia,como se fosse hoje,o dia em que comecei a sangrar...)

5 comentários:

Se o "se" não tivesse ficado só no "se" disse...

Lindo né? Espero que tú já tenhas iniciado o processo de cicatrização, bjos.

Andréia A disse...

Minha Querida

Cá ...
Desejo que o novo ano lhe traga paz ao coração, que voce consiga abrandar essa dor no peito essa falta de "algo" que tanto a tortura!!
Mais Acima de tudo desejo que a nossa troca de experiencias continue , sempre com todo este carinho e respeito que temos uma pela outra!!

Desejo a voce e a todos que ama muita:
Paz , Amor e Saúde!!

Beijao Flor

Luna Sanchez disse...

Ainda que a gente não lembre dos detalhes nem das datas exatas, é importante ter alguma referência de quando e como as coisas começaram a mudar...é a nossa história, afinal.

Beijos, querida. Que 2010 seja um tempo feliz.

ℓυηα

Principe Encantado disse...

Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos,
não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos.
Miguel Unamuno

De repente, num instante fugaz, os fogos de artifício anunciam que o ano novo está presente e o ano velho ficou para trás.

De repente, num instante fugaz, as taças de champagne se cruzam e o vinho francês borbulhante anuncia que o ano velho se foi e ano novo chegou.

De repente, os olhos se cruzam, as mãos se entrelaçam e os seres humanos, num abraço caloroso, num so pensamento, exprimem um só desejo e uma só aspiração: PAZ E AMOR.

De repente, não importa a nação, não importa a língua, não importa a cor, não importa a origem, porque todos são humanos e descendentes de um só Pai, os homens lembram-se apenas de um só verbo: AMAR.

De repente, sem mágoa, sem rancor, sem ódio, os homens cantam uma só canção, um só hino, o hino da liberdade.

De repente, os homens esquecem o passado, lembram-se do futuro venturoso, de como é bom viver. .

Feliz Ano Novo !!!

Juliana Lira disse...



Esse texto é lindo, confesso que eu não lembro bem o dia que comecei a sangrar, lembro que pensei que fosse morrer, lembro que quis morrer e lembro que sobrevivi.
Hoje só sangro as vezes e já não dói tanto.

Milhões de beijos